Tudo sobre incontinência urinária

A incontinência urinária, é definida como a perda involuntária de urina, tem impacto na vida social de quem a sofre, evitando qualquer tipo de relacionamento com terceiros, por medo de serem rejeitados, o que irá causar estresse e ansiedade. Através do nosso blog de Saúde, tivemos a honrosa colaboração do doctorAntonio Alcaraz (ver imagem 2), que muito gentilmente respondeu às nossas perguntas. A incontinência urinária, entrevista com o doutor Antonio Alcaraz Como saber se sofrer de incontinência urinária? A incontinência urinária é definida de uma forma muito simples: é a perda involuntária de urina. Por isso, qualquer perda involuntária de urina é incontinência urinária. Outra coisa é que a queremos quantificar e é aí que podemos falar de perdas mínimas, que seriam aquelas que não têm impacto na vida do paciente e para as quais, provavelmente, com uma proteção mínima, tipo salvaslip, seria suficiente, e, por outro lado, as perdas também são incontinência e que exigem um tipo de proteção mais importante. O que é a incontinência urinária? Há dois motivos fundamentais: um é uma fraqueza do sistema de contenção, do sistema de esfíncteres e outro é o que chamamos de uma hiperactividade da bexiga, que consiste na contração não controlada da mesma, o que faz com que a urina flua para fora, isto é, surgem e a vontade de urinar e não pode controlar. Pode-Se dizer, portanto, que está a incontinência de esforço é causada por fraqueza dos esfíncteres e a incontinência por hiperatividade da bexiga. O que podemos fazer diante de um caso de incontinência urinária? Se se trata de um caso de incontinência por hiperatividade, o tratamento indicado é um tratamento médico com drogas. Pelo contrário, quando se trata de uma incontinência por um defeito do sistema de esfíncteres, seja intrínseco ou posterior a algum tipo de cirurgia prostática, no caso dos homens, ou por um defeito no chão pelviano muitas vezes relacionado com a idade ou com partos anteriores, no caso da mulher, o tratamento indicado é o cirúrgico. Este tratamento pode ir de algumas bandas que se colocam abaixo da uretra, tanto feminina como masculina, até a implantação de um esfíncter urinário em caso de incontinencias graves. Como se diagnostica a incontinência urinária? O certo é que a incontinência urinária é o próprio paciente quem te conta. Para ser capaz de catalogarla dentro de algum dos grandes categorias já comentadas, nós queremos apoiar o chamado estudo urodinamico. Trata-Se de uma exploração em que medimos como funciona a bexiga. Quais são os tipos de incontinência urinária existem? Como mencionado anteriormente, existem dois tipos: por hiperatividade, onde ocorre uma contração não controlada da bexiga e incontinência de esforço, que ocorre por um defeito no sistema de contenção, ou sistema esfincteriano. Quais são os efeitos dos relaxantes da bexiga? Quais são os mais adequados? São indicados no tratamento da incontinência pela hiperatividade da bexiga. Existem diferentes tipos, mas todos são muito semelhantes. Normalmente a maior eficiência, maiores efeitos colaterais e quanto menos eficácia, menos efeitos colaterais. A chave está em encajarlos com o perfil do paciente e as preferências do mesmo. O que vos parece esta entrevista exclusiva sobre a incontinência urinária?