Primeiros socorros para acidentes na água

Todos os verões ouvimos no noticiário todo tipo de tragédias relacionadas com as piscinas, as praias, os rios ou pântanos. De fato, os acidentes relacionados com a água são uma das principais causas de mortalidade em crianças entre um e quatro anos. Muitas vezes essas desgraças podem se transformar em histórias se há alguém capaz de agir a tempo de uma forma eficaz. Por isso, vamos ver como podemos fazer de forma bem sucedida cerca de primeiros socorros. Primeiros socorros para acidentes aquáticos Uma vez avistamos a vítima do afogamento notificaremos ao salva-vidas, mas, se não tivesse, teríamos que agir assim que nos aproximaremos a ela, mesmo, dependendo da nossa posição, teremos que fazê-lo de uma forma ou de outra. Por exemplo, se estamos em uma área onde a água está turva, nos aproximaremos com os braços em cruz, e sempre com uma perna adiantada que nos permita perceber se há algum obstáculo. No caso de estarmos a uma grande altura, nos lançaremos de pé. E nós só tiramos a mecha de cabeça na água se ela é profunda e limpa. Embora seja uma técnica que nos permite chegar rapidamente ao ferido, pode causar um bom desgosto para nós mesmos. Se nos encontramos em algum tipo de embarcação, devemos considerar que velocidade e em que direção se dirige a mesma para tirarnos em direção a marcha e sem enfiar a cabeça. Além de ter muito presente a possibilidade de que tenha hélices. Dependendo do meio onde ocorreu o afogamento, as características das lesões variam de forma que, se foi no mar, a água é transferida para os pulmões e produz lesões. Nos rios e pântanos passa dos pulmões para o sangue, e piora se for em uma piscina, pois o cloro envenena os pulmões. Uma vez conseguimos retirar a vítima da água, faremos um reconhecimento da mesma, onde observaremos se está consciente, se pode comunicar e compreender. Durante esse processo, nós temos que tentar entrar em contato com o 112 e tentar não perder a calma para poder explicar como está o lesado e que devemos seguir instruções até que cheguem as emergências. Se a pessoa não respira, teremos que proceder a reanimação cardiopulmonar, sempre movendo-se ao indivíduo como se tivesse sofrido alguma lesão na coluna. Para realizar a reanimação nos colocamos de joelhos ao lado da vítima para fazer compressões sobre o esterno com as nossas mãos viradas para baixo e entrelaçadas. Estiraremos os braços e mantê-lo em linha reta, para depois fazer pressão com os ombros e comprimir com fora e rapidez, já que temos que fazer, pelo menos, cem compressões por minuto. Se se tratasse de uma criança menor de um ano faremos as compressões só com dois dedos. O mais difícil de tudo é ter um pouco de paciência para poder levar a bom termo o salvamento, mas, sem dúvida, o mais conveniente e oportuno, é ser cauteloso. O que vos parece a nossa lista de primeiros socorros em caso de acidentes na água?